CICLO “CHUTA NA BOLA” | 26 de JUNHO, 3 e 10 de JULHO

Tendo como ponto de partida a realização do Campeato Munidal de Futebol, fazemos a proposta de olhar o desporto-rei através de uma perspectiva diferente da que estamos habituados. Usando para isso a linguagem cinematográfica

Começamos já este Sábado, dia 26, com “Maradona” um documentário de Emir Kusturika.

Emir Kusturica homenageia Diego Maradona : herói desportivo, deus do futebol, campeão do povo, ídolo caído em desgraça, modelo e inspiração para milhões de jovens e gerações do mundo inteiro. De Buenos Aires a Nápoles, passando por Cuba, Kusturica retrata a vida deste homem invulgar, das suas origens humildes à sua notoriedade mundial, da sua espectacular ascensão à brutal queda. Um documentário sobre a lenda viva do futebol filmado por um dos seus maiores fãs.

Um registo único deste realizador iconográfico, num género que não lhe é usual – o documentário.

No sábado seguinte, dia 3 de Julho,  “A Grande Final” de Geraldo Olivares.

O filme traz-nos a história de três povos distintos que jamais se conhecerão: índios da Amazónia, nómadas do mais gelado canto da Rússia e os povos do deserto. Distantes entre si,  com difícil acesso a tudo, vivendo suas vidas precariamente, mas com os mesmos sonhos, os mesmos gostos, os mesmos desejos, os mesmos ideais, as mesmas piadas.

Sem energia elétrica, sem televisão de plasma, sem antena, sem conforto, mas com sonho de assistir à Final a qualquer custo A GRANDE FINAL do Mundial de 2002 no Japão entre a Alemanha e o Brasil, custa caro para cada coração que tenta torná-lo realidade a qualquer preço. E enfim, com toda luta e esforço eles conseguem!

Um registo que oscila entre o documentário e a comédia, a fazer lembrar “Os Deuses Devem Estar Loucos”.

Na véspera da final, sábado dia 10 de Julho, “A Outra Final” de Jonhan Kramer.

Um filme fantástico, que vai muito além da temática do futebol.

Depois de a selecção nacional holandesa não se ter qualificado para o Mundial de 2002, um adepto holandês teve a ideia de fazer uma final “alternativa”, juntando as duas piores selecções do ranking da FIFA – as selecções nacionais do reino do Butão (em 202º lugar) e da ilha de Montserrat, ex-colónia britânica situada nas Caraíbas (203º lugar).

O filme conta-nos todas as etapas da programação deste evento, colocado de pé em apenas 6 meses. Desde uma caracterização de cada equipa e respectivo país, feita com uma fotografia excelente e uma edição gráfica muito bem conseguida, até ao dia da final, o realizador convida-nos a envolver neste insólito evento.

Este filme transcende toda a temática do futebol, apesar de se centrar nele, levando os espectadores a questionarem-se sobre a verdadeira essência do desporto, enquanto forma pacífica de união e partilha cultural entre os povos.

Filmado entre o Butão e Montserrat, tem um certo fundo de cinema de viagem, onde podemos ficar a conhecer melhor os usos e costumes de dois países tão ignorados pelo resto do mundo.

A um outro nível, o documentário mostra-nos a capacidade do ser humano de conseguir levar a cabo uma tarefa aparentemente impossível, ao colocar de pé,em tão curto espaço de tempo, um evento absolutamente improvável e insólito.

Convidamos todos a participarem neste Ciclo de Cinema,onde todas as sessões serão no Fórum Actor Mário Viegas (Centro Cultural Regional de Santarém), com entrada gratuita sujeita à limitação da sala.

O Cineclube de Santarém gostaria ainda de agradecer ao Cineclube de Guimarães a preciosa ajuda que nos deu, no sentido de podermos levar a cabo este Ciclo da maneira como foi organizado.